Assista o vídeo completo do IX Ato https://youtu.be/CO2tG7nBbao
Ato do Rio 2.jpg
IX Ato - Palco 13.jpg
Título 5
Título 5
Ato do Rio 3.jpg
34 MPB4 encerra ato no Rio.jpg
             Manifesto

CARTA DO RIO DE JANEIRO – EM DEFESA DA JUSTIÇA ELEITORAL E DA NÃO-VIOLÊNCIA

 

O Direitos Já! Fórum pela Democracia, reunido em seu IX Ato, na capital fluminense, em 1º de agosto de 2022, lança a presente Carta do Rio de Janeiro, em que proclama a indispensável necessidade de se defender a Justiça Eleitoral Brasileira e a urgente vigilância para coibir, nos termos da lei, os atos de violência que ameaçam a paz da disputa eleitoral. O objetivo é a defesa do sagrado direito democrático de os cidadãos escolherem livremente quem deve governá-los, direito que está em risco nos dias que correm.

O presidente Bolsonaro e os seus apoiadores advogam a prévia contestação da eleição, indicando que não aceitarão sua eventual derrota nas urnas. A estratégia busca desacreditar o sistema eleitoral e criar ambiente propício à conflagração armada da disputa, em prejuízo da paz social, da lisura do processo eleitoral, da independência das instituições e do seu bom funcionamento.

É imprescindível que as forças democráticas estejam unidas e levantem suas vozes ao máximo, nesse momento, para que não prospere a estratégia do autoritarismo. Tão grave quanto contestar a eficiência do sistema eleitoral brasileiro, sabidamente entre os mais sólidos e respeitados do mundo, é estimular atos de violência política. Bolsonaro invoca seguidamente a liberação de armas na mesma medida em que desacredita as urnas.

O caos que se pretende instalar tem por objetivo desacreditar as eleições e arrastar a sociedade à violência. A situação demanda que as autoridades policiais, eleitorais e judiciárias ajam com a energia necessária contra os estímulos de conflagração da violência que já começa a transpor o campo da política para literalmente alcançar a vida e a segurança das pessoas.

Em vista desses riscos, o Direitos Já! expressa enfaticamente o seu apoio e o seu aplauso aos ministros do TSE e do STF, cujos importantes esforços, para preservar os pressupostos e os valores democráticos que devem orientar a lisura das disputas eleitorais, estão sob ameaça.

Foi-se o tempo de tão-somente observar! Os democratas precisam agir! Bolsonaro ameaça os limites da harmonia institucional e transpõe a linha da democracia. Cabe-nos mobilizar e unir o povo em torno de seus direitos fundamentais e dos meios de se enfrentar democraticamente as intenções despóticas. A fonte do poder na democracia é a soberania popular e daí deve emanar a convocação inquestionável dos poderes da República para que atuem com o rigor necessário para preservar os imperativos da Carta Constitucional.

Direitos Já! Fórum pela Democracia

Card IX Ato.jpeg
 IX Ato no Rio em defesa do processo eleitoral

Em defesa da Justiça Eleitoral e da não Violência, o Direitos Já! Fórum pela Democracia realizou no Rio de Janeiro, na sede do Clube de Engenharia do Brasil, no dia 1/8, seu IX Ato.

Participaram Márcio Girão, presidente do Clube de Engenharia do Brasil; Eliziane Gama, senadora do Maranhão, pelo Cidadania; Bruna Brelaz, presidente da UNE; Adilson Araújo, presidente da CTB; Octávio Costa, presidente da ABI; Fernando Pigatto, presidente do CNS; Ana de Holanda, ex-ministra da Cultura; Heloísa Helena, porta voz nacional da Rede; Aldo Arantes, coordenador da ADJD; a atriz Bete Mendes; deputado federal Paulo Teixeira (PT/SP); deputado federal Marcelo Ramos (PSD/AM); a jurista Carol Proner; Ana Tereza Vasconcelos, da SBPC; Dimitri Sales, presidente do Condepe; deputada federal Jandira Feghali (PCdoB/RJ); deputado federal Alessandro Molon (PSB/RJ); Patricia Manaro, da Aliança Nacional LGBTI; prefeito de Cabo Frio e presidente estadual do PDT/RJ, José Bonifácio; Fernanda Machado, presidente da Unegro/RJ; Leonardo Picciani, presidente estadual do MDB/RJ; Glaucia Morelli, presidente da CMB; deputada federal Lídice da Mata (PSB/BA); José Álvaro Moisés, cientista político; a atriz Lucélia Santos; deputado federal Marcelo Freixo (PSB/RJ); deputado federal Aliel Machado (PV/PR); deputado federal Marcelo Calero (PSD/RJ); vereador do Rio de Janeiro, Chico Alencar (PSOL); e Juliana Benício (Novo).

Após a apresentação do hino nacional, violão e voz, por Marcos Sacramento e Josimar Machado, e da leitura da Carta do Rio, os convidados se manifestaram em defesa do processo eleitoral brasileiro.

O ato foi transmitido pelo UOL e teve a veiculação do vídeo in memoriam – uma homenagem àqueles que foram mortos ao longo dos últimos quatro anos, por motivação política. Em seguida ao vídeo, Monica Benicio, vereadora do Rio, pelo PSOL, e viúva de Marielle Franco, teve a oportunidade de se pronunciar.

Foram exibidos vídeos internacionais de Isabel Santos, deputada do Parlamento Europeu por Portugal; do ex-senador do Chile, Carlos Ominami; da deputada de Portugal, Joana Mortágua; de Jorge Castañeda, ex-ministro das Relações Exteriores do México; de Maria Manuel Leitão Marques, deputada do Parlamento Europeu por Portugal; de Miguel Úrban, deputado do Parlamento Europeu pela Espanha; de Antonio Baylos, catedrático da Universidade Castilla – La Mancha – Espanha; de Christophe Ventura, do Instituto Francês para Assuntos Internacionais e Estratégicos; de Ian Lesser, do Fundo Marshall – Alemanha; do sociólogo haitiano Marc Elie Pierre; do professor da Universidade John Hopkins, diretamente da Itália, Michael Leigh; e de Scott Mainwaring, professor da Universidade Notre Dame, dos EUA.

A apoteose coube ao grupo MPB4, que encerrou o ato com uma incrível apresentação musical, cuja última música, Apesar de Você, foi acompanhada em coro por todos os presentes.