Atos Promovidos pelo Direitos Já!

Todos os sete atos do Direitos Já! Fórum Pela Democracia tiveram muita importância e vão somando representatividades diversas nessa construção:

 

I Ato "Em Defesa do Estado Democrático de Direito". O ato no Tuca com 16 partidos, 300 organizações da sociedade civil, presenças de Dom Cláudio Hummes e Noam Chomsky, teatro lotado e centenas de pessoas acompanhando por telão na rua o mais amplo ato político desde as Diretas Já, mostrou que sim a Frente Ampla era possível.

 

II Ato "Em Defesa da Liberdade de Expressão, de Imprensa e do Estado Laico". Com a importância de ter sido realizado no Congresso Nacional e contado com a presença de Glenn Greenwald, foi o ato que reuniu o maior número de partidos, 18.

 

III Ato "Em Defesa da Vida, da Proteção Social e da Democracia". Reuniu mais de 130 convidados no maior ato democrático por videoconferência já realizado, com Dom Odilo Scherer e a participação especial de Gilberto Gil no dia de seu aniversário. Foi o ato de maior repercussão do Direitos Já!, ocupando todos os telejornais da Rede Globo, Globo News e TV Cultura.

 

IV Ato "Dia Internacional da Democracia". Nada menos que lideranças políticas e da sociedade de 14 países participaram do ato, entre elas o argentino, Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel.

 

V Ato "Lançamento da Campanha Abrace a Vacina". Realizado em parceria com a Frente pela Vida e com a participação do presidente da CNBB, Dom Walmor de Oliveira Azevedo, reuniu destacados profissionais da saúde, personalidades e organizações da sociedade civil parceiras.

 

VI Ato "Em Defesa do Auxílio Emergencial". Com a participação de Dom Mauro Morelli, reuniu destacados economistas, líderes políticos e da sociedade, que apresentaram a proposta do Direitos Já! para Auxílio Emergencial durante a Pandemia.

 

VII Ato "Pela CPI da Pandemia - e desagravo ao Felipe Neto, pela Liberdade de Expressão". Um ato necessário, no momento mais difícil da história do Brasil. Com lideranças de 14 partidos e personalidades de grande expressão, entre todos os atos, foi o que teve o maior alcance nas redes sociais, jogando pressão no Congresso Nacional.